Quarta-feira, 29 de Setembro de 2010
Crianças expostas ao adenovírus tornam-se mais propensas à obesidade

 

"Jeffrey B. Schwimmer, professor adjunto da pediatria clínica na UCLA de San Diego, e colegas examinaram 124 crianças com idades entre oito e 18 anos, para verificar a presença de anticorpos específicos para o adenovírus 36 (AD36), que é uma das mais de 50 cepas de adenovírus conhecidas por infectar pessoas e causar uma variedade de doenças respiratórias, infecções gastrintestinais e outras. AD36 é o adenovírus humano atualmente ligado à obesidade.

Pouco mais da metade das crianças no estudo (67) foram consideradas obesos, com base no Índice de Massa Corporal (IMC) num percentual de 95 ou maior. Os pesquisadores identificaram anticorpos neutralizantes específicos para AD36 em 19 crianças (15%). A maioria das AD36-positivas (78%) eram obesas, com anticorpos AD36 muito mais frequente em crianças obesas (15 de 67), do que em crianças não obesas (4 de 57).

As crianças que foram AD36-positivos pesavam quase 23 quilos a mais, em média, do que as AD36-negativos. Dentro do grupo de menores obesos, aqueles com evidência de infecção AD36 pesavam em média 15 quilos a mais, do que os gordos AD36-negativos.

"Esta quantidade de peso extra é uma preocupação importante em qualquer idade, mas é especialmente preocupante para uma criança", disse Schwimmer. "A obesidade pode ser um marcador para futuros problemas de saúde, como doença cardíaca, doença hepática e diabetes. Um extra 15 a 23 quilos é mais do que suficiente para aumentar muito os riscos".

Schwimmer espera que esta pesquisa ajude a transferir parte da carga de responsabilidade que cai sobre as pessoas obesas, em especial as crianças. "Muitas pessoas acreditam que a obesidade é culpa própria ou por culpa de seus pais ou familiares. Este trabalho ajuda a ressaltar que o peso corporal é mais complicado do se imagina.

Ainda não se sabe quantas vezes e em que circunstâncias o AD36 contamina as pessoas, porque o vírus afeta as pessoas de forma diferente, ou mesmo se o ganho de peso é resultado de uma infecção ativa ou uma mudança no metabolismo.

Schwimmer explica que, em culturas celulares, o vírus infecta pré-adipócitos ou células imaturas de gordura, levando-os a desenvolver mais rapidamente e proliferar em maior número do que o normal. "Este pode ser o mecanismo para a obesidade, porém mais pesquisa precisa ser feita"."

 

Fonte: www.isaude.net

publicado por Cátia Pontes às 15:58
link do post | comentar | favorito
|
.: Cátia Pontes
.: despensa

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

.: alimentarte aconselha
subscrever feeds