Sexta-feira, 26 de Novembro de 2010
Sumo de romã pode ser benéfico para doentes renais

O sumo de romã pode beneficiar a saúde renal de pessoas que realizam diálise, revela um estudo israelita, apresentado no encontro da American Society of Nephrology, realizado em Denver, EUA.

 

Cientistas, liderados por Batya Kristal, do Western Galilee Hospital, em Nahariya, Israel, estudaram 101 pacientes em diálise que receberam sumo de romã ou outra bebida placebo no início de cada sessão de hemodiálise, três vezes por semana, durante um ano.

 

Testes de laboratório mostraram que os pacientes que beberam sumo de romã tiveram uma redução na inflamação e nos danos provocados pelo stress oxidativo dos radicais livres. Além disso, houve também uma redução significativa na hospitalização devido a infecções, com uma redução de mais de 40% no primeiro internamento e 80% no segundo.

 

Dados de investigações posteriores, mas que não foram incluídos neste estudo, revelaram que aqueles que beberam sumo de romã também mostraram uma melhora nos factores de risco cardiovasculares, como redução da pressão sanguínea, melhora no perfil lipídico e menos episódios cardiovasculares. Estes resultados estão em concordância com outras populações estudadas, mas é particularmente importante para os pacientes que realizam hemodiálise, dado que a maioria dos doentes renais morre por causas relacionadas a problemas cardiovasculares e infecções.

 

Os cientistas sugerem que beber uma quantidade de sumo de romã com teores controlados de potássio pode ajudar a reduzir as complicações que ocorrem com frequência em pacientes que realizam diálise. Mas “é importante considerar o risco envolvido no excesso de potássio, especialmente na doença renal crónica nos pacientes com restrição alimentar de potássio”. Por isso, advertem, antes de começar a integrar o sumo da dieta alimentar, o melhor é consultar o especialista.

publicado por Cátia Pontes às 17:29
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 25 de Novembro de 2010
A criança e a diabetes

A Associação Portuguesa de Nutricionistas lançou neste mês de Novembro, o e-book "A criança e a diabetes" para assinalar o Dia Mundial da Diabetes que ocorreu no dia 14 de Novembro. Este e-book fala das características da doença e dos cuidados alimentares a ter. Para visualizar e guardar, visite o site www.apn.org.pt

 

publicado por Cátia Pontes às 16:15
link do post | comentar | favorito
|
Doses terapêuticas de melancia baixam a pressão arterial

 

 

 

É doce e saborosa, tem poucas calorias, e é rica em fibras. Estas características, por si só, já fazem da melancia um alimento altamente benéfico para a saúde. Mas um estudo da Universidade da Flórida, EUA, descobriu mais uma característica desta fruta: é uma reguladora natural da hipertensão.

 

De polpa vermelha, suculenta, a melancia (Citrullus lanatus, nome cientifico), é uma fruta rasteira originária da África, que contém alto teor de água (cerca de 90%), mas também vitaminas do complexo B e sais minerais, como cálcio, fósforo e ferro. A medicina natural costuma recomendar a ingestão de melancia em programas de emagrecimento. E o chá das sementes do fruto já era aconselhado a pessoas com problemas de impotência e de hipertensão arterial.

 

Apesar deste conhecimento popular, até ao momento, a ciência nunca tinha demonstrado a eficácia do consumo da fruta no combate à hipertensão. Neste estudo, liderado por Arturo Figueroa e Bahram H. Arjmandi, foi verificado que a melancia tem mesmo o potencial de vasodilatador, impedindo que a pré-hipertensão se transforme em hipertensão.

 

Neste estudo participaram nove voluntários pré-hipertensos (quatro homens e cinco mulheres na fase pós-menopáusica) com idades entre os 51 e os 57 anos. Durante seis semanas, todos os voluntários consumiram, diariamente, seis gramas dos aminoácidos L-citrulina/L-arginina, retirados do extracto da melancia. Passado esse período, os investigadores verificaram que todos os participantes apresentaram melhoras significativas na função arterial o que, consequentemente, conduziu a uma redução da pressão arterial da aorta.

 

Segundo referiu Arturo Figueroa, em comunicado enviado à imprensa, trata-se, de facto, do primeiro estudo que documenta “melhorias na hemodinâmica da aorta nos voluntários pré-hipertensos, saudáveis, de meia-idade que receberam doses terapêuticas de melancia”.
E estas descobertas, reforça o cientista, sugerem que estes alimentos funcionais têm um efeito vasodilatador e podem impedir que a pré-hipertensão progrida para hipertensão, um importante factor de risco para enfarte agudo do miocárdio e AVC (acidente vascular cerebral). Por isso, a equipa de investigadores planeia continuar o estudo, cuja próxima fase será a de incluir um maior número de pessoas a avaliar.

 

Se do ponto de vista da medicina natural, já sabíamos que a melancia era uma fonte importante de vitaminas e minerais, do ponto de vista científico este fruto saboroso tem outras valências: "A melancia é a fonte natural (de produtos comestíveis) mais rica em L-citrulina, que está intimamente relacionada com a L-arginina, aminoácido necessário para a formação do óxido nítrico, essencial para a regulação do tónus vascular e da pressão arterial saudável", explicou o cientista. Quando a L-citrulina é metabolizada pelo organismo é convertida em L-arginina. Contudo, consumir a L-arginina como suplemento alimentar não é uma boa opção para muitos doentes hipertensos, disse Figueroa, dado que pode causar náuseas, desconforto gastrointestinal e diarreia.

 

Ao contrário desta situação, o consumo de melancia é bem tolerado. Os participantes deste estudo piloto não relataram qualquer efeito secundário. E, além dos benefícios vasculares da citrulina, a melancia ainda fornece vitamina A, B6, C, potássio, fibras e licopeno, este último um antioxidante poderoso. O cientista Bahram H. Arjmandi acrescentou ainda outro benefício do consumo da fruta: a redução dos níveis de glicose no sangue.

 

Para Figueroa, a suplementação de L-citrulina oral pode permitir uma dosagem reduzida de anti-hipertensores necessários para controlar a pressão arterial e, melhor ainda, impedir a instalação da doença.

 

Dados do último estudo epidemiológico sobre hipertensão arterial em Portugal, liderado por Espiga de Macedo, docente da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto, indicam que 46,5% dos portugueses adultos sofrem deste problema. Embora a doença afecte cerca de dois milhões de portugueses, destes, apenas metade tem conhecimento de ter a doença, só um quarto estará medicado e apenas 16% tem a doença controlada.

 

A pré-hipertensão é caracterizada por leituras de pressão arterial sistólica de 120-139 milímetros de mercúrio (mm Hg)  e pressão diastólica de 80-89 mmHg. É considerada hipertensão quando os valores são superiores a 140/90mmHg.

 

Fonte: www.mni.pt

 

 

publicado por Cátia Pontes às 16:10
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 18 de Novembro de 2010
Leite ajuda na perda de peso

Beber leite ajuda na perda de peso, sugere um estudo publicado no “Journal of the American College of Nutrition”.

 

Investigadores israelitas verificaram que os adultos que bebiam mais leite (cerca de dois copos por dia) apresentam maiores níveis de vitamina D após seis meses, perderam mais peso após dois anos (cerca de 5 quilos e meio), em comparação com os que consumiram pouco ou nenhum leite.

 

Os cientistas também verificaram que o consumo de cada 177 ml de leite ou de produtos lácteos (cerca de três a quartos copos de leite) foi associado à perda de 4,5 quilos acima da média, em apenas seis meses. No estudo participaram mais de 300 pessoas com excesso de peso ou em risco de aumentarem de peso, com idades entre os 40 e os 65, que participaram numa dieta de baixos níveis de gordura, do tipo Mediterrâneo ou de baixas calorias durante dois anos.

 

Independente da dieta, os investigadores verificaram que os participantes com o maior consumo de cálcio em seis meses (cerca de 580 mg por dia - o equivalente a dois copos de leite) perderam cerca de 5 quilos e meio no final dos dois anos, em comparação com os cerca de 3 quilos para os que tinham uma menor ingestão de cálcio (cerca de 150mg, ou seja, metade de um copo).

 

O leite sem gordura embalado contém nove nutrientes essenciais, incluindo o cálcio e a vitamina D. O estudo sugere que comer bem, manter-se activo e beber o recomendado a três copos de leite com pouca ou sem gordura por dia pode ajudar a manter um peso saudável.

publicado por Cátia Pontes às 10:05
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Novembro de 2010
Suplementos de cálcio aumentam risco de enfarte agudo do miocárdio

"Os suplementos de cálcio, que muitos idosos tomam para combater a osteoporose, aumentam o risco de enfarte agudo do miocárdio, sugere um estudo publicado no “British Medical Journal”.

 

Estudos anteriores já haviam indicado que os suplementos de cálcio poderiam aumentar, em mulheres idosas saudáveis, a taxa de enfarte agudo do miocárdio e de eventos cardiovasculares.

 

De forma a investigar mais aprofundadamente este tema, Ian Reid da University of Auckland, na Nova Zelândia, em parceria com investigadores da Grã-Bretanha e dos EUA, analisou os resultados de 11 estudos que acompanharam durante quatro anos um total de 12 mil idosos. A metade destes foram administrados suplementos de cálcio e à outra metade foi dado um placebo.

 

O estudo revelou que a toma de suplementos de cálcio estava associada a um aumento de cerca de 30% no risco de enfarte agudo do miocárdio. De acordo com os autores do estudo, isto significa que, se mil pessoas tomarem suplementos de cálciodurante cinco anos, é esperado que ocorram mais 14 enfartes agudos do miocárdio, mais 10 acidentes vasculares cerebrais (AVC) e mais 13 mortes nas pessoas que receberam suplementos de cálcio do que naquelas que não foram tratadas com estes suplementos.

 

Apesar de ainda não se saber ao certo o mecanismo pelo qual os suplementos de cálcio danificam o organismo, os autores do estudo acreditam que níveis elevados de cálcio no sangue poderão conduzir à formação de placas lipídicas nos vasos sanguíneos, que, por sua vez, podem conduzir ao desenvolvimento de doenças cardiovasculares e AVC.

 

Contudo, estudos anteriores não encontram nenhuma associação entre um maior consumo de cálcio através da dieta alimentar e o aumento do risco de desenvolvimento de problemas cardiovasculares.

 

Para prevenir a osteoporose, os investigadores recomendam às pessoas que consomem suplementos de cálcio a procurar o aconselhamento médico, a ingerir alimentos mais ricos em cálcio, a praticar exercício, a não fumar e a manter um peso saudável."

 

Fonte: www.mni.pt

 

Esta é uma noticia que serve para desmistificar a ideia que tomar suplementos de vitaminas ou minerais só poderá fazer bem, quando na realidade, sabemos que nada se deve tomar sem aconselhamento médico e que, nada é inócuo ao ponto de podermos tomar indescriminadamente.

 

publicado por Cátia Pontes às 17:48
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
|
Beber água antes das refeições ajuda a perder peso

 

Beber água antes das refeições reduz a sensação de apetite e ajuda a perder peso, refere um estudo clínico aleatório elaborado pelo Instituto Virginia Tech, nos EUA, e apresentado na reunião anual da Sociedade Química Americana.

 


A investigação contou com a participação de 48 homens e mulheres, com idades entre os 55 e os 75 anos, que estavam sob regime alimentar para perda de peso. Os voluntários foram divididos em dois grupos: um bebeu dois copos de água (de 250 mililitros cada) antes das refeições, enquanto o outro grupo não bebeu nada antes de comer.

 


A equipa, liderada por Brenda Davy, verificou que quem bebeu água antes das refeições ao longo das 12 semanas de estudo perdeu uma média de sete quilos enquanto os elementos do grupo de controlo perderam cinco quilos. "A água ajuda a perder peso pela simples razão de que chega ao estômago antes da comida, conseguindo que a sensação de estar saciada apareça antes e fornecendo zero calorias ao organismo", explica a investigadora em comunicado enviado à imprensa.

 


Em concreto, "beber dois copos de água (meio litro) antes do pequeno-almoço, almoço e jantar faz com que se consuma entre 75 e 90 calorias menos durante a refeição por induzir mais depressa a saciedade", explica a especialista.

 


Neste sentido, e apesar de o estudo ter sido realizado só com água, a investigadora afirma que as bebidas “light” e outros líquidos com edulcorantes artificiais também podem ajudar a perder peso e a aumentar a sensação de saciedade se ingeridos antes das refeições.

 

Contudo, a especialista adverte para o facto de as bebidas com açúcar puderem ajudar à sensação de saciedade precoce, mas à custa de um consumo de calorias. "Uns 350 mililitros de um refrigerante normal com açúcar, por exemplo, contêm umas dez colheres de açúcar".

 

Fonte:www.mni.pt

publicado por Cátia Pontes às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
.: Cátia Pontes
.: despensa

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

.: alimentarte aconselha
subscrever feeds