Quarta-feira, 30 de Novembro de 2011
DECO alerta para possível diminuição da qualidade das refeições escolares
 

A qualidade das refeições nas cantinas escolares e sociais pode baixar com o aumento do IVA para a taxa máxima de 23 por cento na restauração, alertou nesta terça-feira a associação de defesa dos consumidores DECO.

 

"Com este aumento é natural que as empresas fornecedoras das cantinas queiram uma revisão do preço e, não tendo o Estado [autarquias] dinheiro para aumentar a sua comparticipação, tememos uma diminuição da qualidade das refeições nas cantinas", disse à Lusa o secretário-geral da associação, Jorge Morgado.  

 

Os receios da DECO estendem-se também às cantinas sociais e às das empresas públicas, lembrando a associação que o último estudo em cantinas revelou uma melhoria na qualidade das refeições.  

 

"Tudo isto é penoso, é voltarmos aos tempos dos nossos avós", comentou Jorge Morgado.  

O aumento da taxa de IVA para 23 por cento vai ter um "impacto enorme" na vida quotidiana dos consumidores, segundo a DECO, "principalmente" naqueles que trabalham nos grandes centros urbanos. 

 

"O impacto na economia doméstica vai ser grande e vamos regressar ao passado da lancheira", concluiu Jorge Morgado.  

 

O Parlamento aprovou, por maioria, um aumento do IVA na restauração, entre outros produtos, que deixa de estar sujeita a uma taxa de 13 por cento, passando para 23 por cento, com votos contra de toda a oposição.   

 

Fonte: www.cmjornal.xl.pt

 

publicado por Cátia Pontes às 16:13
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Novembro de 2011
Resveratrol melhora parâmetros metabólicos na obesidade

 

 

Um estudo publicado na revista Cell Metabolism demonstrou que a suplementação de cápsulas contendo resveratrol induziu alterações metabólicas em pacientes obesos, semelhante aos efeitos da restrição calórica.

Os pesquisadores realizaram um estudo randomizado, duplo-cego, cruzado e controlado por placebo com onze homens obesos. Os participantes foram designados a receber 150 mg/dia de resveratrol, durante 30 dias e, ao término desse período, foi dado um intervalo de mais 30 dias para receber o placebo por mais 30 dias. Os indivíduos foram avaliados no início e no final de cada período de suplementação. Diversos parâmetros foram medidos, incluindo índice de massa corporal, gasto energético de repouso, pressão arterial, além de biomarcadores do metabolismo energético.

A suplementação de resveratrol reduziu significativamente (p = 0,007) a taxa metabólica de repouso, efeito semelhante ao que ocorre quando há restrição calórica. Por outro lado, os pesquisadores verificaram que houve aumento do metabolismo mitocondrial no músculo, o que implica no aumento da queima de calorias, por meio da ativação das proteínas AMPK (adenosina monofosfato quinase), SIRT1 (sirtuina 1)  e PGC-1alfa (co-ativador 1 alfa do receptor ativado por proliferador do peroxissoma).
 
As concentrações plasmáticas de glicose e insulina foram menores após a suplementação de resveratrol (p = 0,05 e p = 0,04, respectivamente), sugerindo uma melhora da sensibilidade à insulina. O resveratrol também reduziu as concentrações de triglicérides plasmáticos (p = 0,03). Além disso, foi capaz de diminuir o acúmulo de lipídios no fígado e diminuiu os níveis de alanina–aminotransferase (ALT), com consequente melhora da função hepática (p < 0,005).
 
Os marcadores de inflamação sistêmica, incluindo interleucina 6 (IL-6) e fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa), foram menores após suplementação de resveratrol, mas apenas o TNF-alfa foi estatisticamente significativo (p = 0,04). Outro efeito importante foi a redução significativa da pressão arterial sistólica em aproximadamente 5 mmHg (p < 0,05).

Os pesquisadores também avaliaram o perfil de expressão dos genes antes e após a suplementação de resveratrol. Foi utilizada a técnica de microarranjos de DNA em biópsias do músculo, em que 469 genes foram alterados pelo resveratrol, dos quais 219 foram aumentados e 250 foram reduzidos. Dentre esses genes, houve aumento na expressão dos genes relacionados com a fosforilação oxidativa mitocondrial, enquanto que os genes relacionados com inflamação foram reduzidos.

“Nosso trabalho demonstrou, pela primeira vez, os efeitos benéficos do resveratrol em 30 dias de suplementação sobre o perfil metabólico de homens obesos. Embora a maioria dos efeitos tenha sido modesto, eles foram muito consistentes, apontando para adaptações metabólicas benéficas. Além disso, não houve nenhum evento adverso com a suplementação”, argumentam os autores.
 
“Portanto, o resveratrol foi seguro e bem tolerado na concentração testada. Estudos futuros devem investigar os efeitos em longo prazo da suplementação de resveratrol, a fim de estabelecer se maiores doses podem melhorar ainda mais as alterações metabólicas associadas com a obesidade”, concluem.

 

Fonte: www.nutritotal.com.br

tags:
publicado por Cátia Pontes às 16:47
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 16 de Novembro de 2011
Vitamina B reduz stress do trabalho

Aumentar a ingestão de vitamina B poderia reduzir significativamente o stress do trabalho, revela um ensaio clínico realizado em Swinburne University of Technology, na Austrália, que será publicado na revista “Human Psychopharmacology”.

 

De acordo com o líder do estudo, Con Stough, no início do estudo, os investigadores avaliaram 60 participantes em relação a factores como personalidade, trabalho, estado de espírito, ansiedade e tensão. Um grupo recebeu altas doses de vitamina B, enquanto um outro recebeu placebo. Os participantes voltaram a ser avaliados após 30 e 90 dias.

 

"No final do período de três meses, os que tomaram vitaminas do complexo B relataram níveis mais baixos de stress no trabalho do que aprestaram no início da investigação”, disse o investigador em comunicado de imprensa, acrescentando que, “na verdade, os participantes experimentaram uma melhoria de quase 20% nos níveis de stress”. “Por outro lado, aqueles que receberam placebo não demonstraram mudanças significativas”.

 

Segundo Stough, trata-se do primeiro estudo do tipo feito até ao momento. Os resultados não foram tão surpreendentes pelo facto de que já era conhecida a importância geral da vitamina B na função cognitiva do homem. “A vitamina B, que é encontrada em todos os alimentos não processados, como carne, feijão e cereais integrais, é essencial para a síntese de neurotransmissores responsáveis pelo bem-estar psicológico”, explica Stough. “Qualquer coisa que possamos fazer para reduzir o stress do trabalho é bom, pois isso pode significar a diminuição de problemas cardiovasculares, depressão e ansiedade”.

 

Embora o estudo tenha apresentado resultados animadores, os investigadores acreditam que são necessárias mais investigações para comprovar os benefícios da vitamina B. “O ideal é fazermos um estudo com um maior número de participantes e por um tempo mais alargado, durante dois ou três anos”, disse Stough.

 

A Universidade Swinburne tem o maior grupo de pesquisa do mundo que avalia os efeitos cognitivos e de humor potenciados por produtos naturais, suplementos nutricionais e intervenções nutricionais.

 

Fonte: www.alert.pt

publicado por Cátia Pontes às 14:50
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 11 de Novembro de 2011
Novo fármaco contra obesidade

Investigadores da Universidade do Texas e do Anderson Cancer Center (EUA) testaram com êxito um tratamento contra a obesidade. O novo fármaco chamado Adipotide provoca perda de peso e elimina a gordura acumulada no abdómen. Ao contrário de outros fármacos com a mesma finalidade, que cortam o apetite ou impedem a absorção de gorduras, este imita o mecanismo de acção de alguns dos tratamentos contra o cancro que cortam o fornecimento de sangue e oxigénio aos tumores para deixá-los sem nutrientes e ‘matá-los à fome’.

Seguindo esta estratégia, o medicamento dirige-se às células de gordura branca, as mais prejudiciais ao organismo. Estas morrem e são reabsorvidas pelo organismo. Até agora, a eficácia do método só foi provada em macacos e os resultados do estudo aparecem na «Science Translational Medicine».

Após um mês de tratamento com injecções diárias, os animais perderam 11 por cento do seu peso corporal. O peso, a circunferência abdominal e o índice de massa corporal (proporção peso/altura) continuaram a cair durante três semanas após o tratamento.

Além disso, os animais melhoraram a sua resistência à insulina, indicador que leva ao desenvolvimento da diabetes tipo 2. O desaparecimento da gordura branca demonstrou-se em imagens de ressonância magnética antes e depois do tratamento.

Quanto a efeitos secundários, não houve nada de grave a assinalar. Os animais não perderam o apetite nem mostraram sinais de náuseas. O único efeito adverso observou-se nos rins. No entanto, os investigadores esclarecem que este problema é previsível e reversível.

Apesar de a gordura ser essencial para manter o equilíbrio energético e ajudar a regular a temperatura do corpo, nem toda ela é igual. Como no colesterol, existe uma gordura boa que queima energia para manter a temperatura adequada e a má que armazena as calorias a mais. Esta última, a gordura branca, aumenta o risco de problemas cardiovasculares.

 

Fonte: www.cienciahoje.pt

tags:
publicado por Cátia Pontes às 16:02
link do post | comentar | favorito
|
.: Cátia Pontes
.: despensa

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

.: alimentarte aconselha
subscrever feeds