Quarta-feira, 29 de Fevereiro de 2012
Alecrim pode aumentar o desempenho cognitivo?

Os níveis de um componente do óleo de alecrim podem estar associados com um melhor desempenho cognitivo, sugere um estudo publicado na revista científica “Therapeutic Advances in Psychopharmacology”.

 

O alecrim é uma das muitas plantas que produzem óleos essenciais com propriedades medicinais, mas até à data, nenhum estudo tinha investigado como é que esta planta afetava o comportamento humano.

 

Neste estudo, os investigadores da Northumbria University, no Reino Unido, analisaram o desempenho cognitivo e o estado humor de 20 indivíduos que foram expostos a diferentes níveis de aroma de alecrim. Foram retiradas amostras de sangue para detetar a quantidade de um dos principais compostos do alecrim, 1,8-cineol, que os participantes tinham absorvido. De forma a avaliar os potenciais efeitos do óleo de alecrim, os participantes foram submetidos a testes para avaliação da rapidez e precisão do raciocínio. 

 

Os resultados do estudo indicaram que, pela primeira vez em humanos, a concentração do 1,8- cineol no sangue estava associada com um aumento do desempenho cognitivo, em que concentrações mais elevadas deste composto estavam associadas a melhores resultados nos testes cognitivos. Foi também verificado que este composto melhorava os resultados dos testes que avaliaram a velocidade e a precisão do raciocínio dos participantes.

 

Apesar de menos pronunciado, o 1,8-cineol também teve um efeito no humor dos participantes, embora neste caso a associação ter sido negativa, o que sugere que os componentes do óleo de alecrim afetam o estado de humor e o desempenho cognitivo através de vias neuroquímicas diferentes. Por outro lado, foi observado que este óleo não afetou o estado de alerta.

 

O 1,8-cineol, que também está presente noutras plantas aromáticas como o eucalipto, a artemísia e a sálvia, tem sido alvo de vários estudos, incluindo uma investigação que sugere que este composto inibe as enzimas acetilcolinesterase e butirilcolinesterase, as quais são importantes para o cérebro e para o sistema nervoso central.

 

Os autores do estudo concluem assim que estes são resultados encorajadores, pois sugerem que o 1,8-cineol apresenta propriedades farmacológicas, no entanto reconhecem que ainda é necessário proceder à medição dos níveis e da potencialidade de outros componentes do óleo de alecrim, como o ácido rosmarínico e o ácido ursólico, que estão presentes em menores concentrações.

 

Fonte: www.alert.pt 

tags:
publicado por Cátia Pontes às 14:48
link do post | comentar | favorito
|
.: Cátia Pontes
.: despensa

Setembro 2012

Julho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Novembro 2009

Outubro 2009

Maio 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

.: alimentarte aconselha
subscrever feeds